Como acabar com a caixinha da FETRANSPOR

O esquema de corrupção por trás das empresas de ônibus prova mais uma vez que onde há a possibilidade de desvios e corrupção está VAI OCORRER na Brasil. Não adianta trocar empresários, políticos ou fiscais. Onde há a possibilidade essa vai ser explorada. Um ônibus Carioca é uma maquina perfeita de lavagem de dinheiro e de sonegação.

Pensem no seguinte: Quem controla a quantidade de passagens que é paga em dinheiro? As próprias empresas. Logo elas podem por um lado sonegar a quantidade de passagens pagas em dinheiro. Ou então fazer o contrário, rodar a roleta quantas vezes quiserem e legalizar dinheiro sujo advindo de atividades criminosas.

Os eventos de hoje deveriam ser um sinal claro a todos que o SISTEMA de pagamento de transporte público precisa mudar. E precisa mudar radicalmente. A ÚNICA maneira com que se inibe a possibilidade de fraude na arrecadação é com um sistema TOTALMENTE eletrônico e controlado por uma entidade separada (que pode ser o estado, mas também pode ser por uma empresa independente, sujeita a fiscalização e controle do estado).

Isso significaria que 100% dos pagamentos teriam que ser realizados através de meios eletrônicos, ou no mínimo através de maquinas de atendimento que carreguem um tíquete eletrônico, mesmo que ele seja pago dentro do ônibus (imaginem que cada vez que se pague dentro do ônibus tenha que se pagar uma taxa extra de 1 real e se receba um bilhete eletrônico recarregável). A lavagem de dinheiro se tornaria imensamente mais difícil (por haver um registro que pode ser analisado), e a sonegação pelas empresas de ônibus virtualmente impossível.

Mas isso quer dizer que 100% dos pagamentos sejam feitos com cartões eletrônicos. O carioca vai aceitar uma mudança que iniba a corrupção? Ou vai reclamar de que não pode mais pagar em dinheiro no ônibus?

 PS: Há outras mudanças na tarifação e no modelo de contrato de prestação de serviços públicos que também poderiam ajudar bastante, não somente para acabar com a corrupção mas também para garantir maior qualidade na prestação e serviços de mobilidade, falo sobre isso no próximo post.