O MIMIMI da vaga “cara” na Lagoa

A nova polêmica no Rio de Janeiro é a privatização e aumento do valor do estacionamento no entrono da Lagoa. Vagas que antes custavam 2 reais para o dia todo passaram a custar entre 3 e 6 reais POR HORA, respectivamente para dia de semana e final de semana. E não demorou muito tempo para que uma enxurrada de Cariocas reclamassem o “absurdo aumento”. Sim, estou usando aspas.
O que define se o preço está caro? O fato que custava 2 reais e passou a custar 20? A única coisa que isso diz é que o preço aumentou 10 vezes. Mas a realidade é que talvez o preço anterior estava baixo de mais. Desde que eu me lembro por motorista (aviso de antemão, não tenho certeza disso) o ticket do Rio Rotativo custa 2 reais. Isso são 15 anos de defasagem de preço. Só de inflação teríamos ai uns 120%.

Mas esse não é o único ponto. Hoje há um número significativamente maior de veículos nas ruas cariocas. Ou seja, a demanda por estacionamento aumentou. Em qualquer mercado livre de controle de preços uma demanda em elevação sem aumento de oferta resulta em um natural aumento de preços. E ASSIM DEVE SER. Existem estudos bem fundamentados que mostram que há relação entre mobilidade e o preço de estacionamentos. E essa relação é negativa. Ou seja, quanto mais abundantes e baratos são os estacionamentos, PIOR fica a mobilidade urbana. A lógica é simples de entender. Se possuir e estacionar um carro é barato, todos vão tirar o carro da garagem  entupir as ruas da cidade.  

O próprio estacionamento da Lagoa é uma prova disso. Antes do aumento do preço era comum ver nos finais de semana e dias de eventos filas se formando DO LADO DE FORA dos estacionamentos, formadas por pessoas que esperavam alguma vaga abrir. Essas pessoas que formavam fila do lado de fora ocupavam uma faixa de rolamento provocando engarrafamentos para todos, inclusive aqueles que sequer querem estacionar. O preço baixo prejudicando a mobilidade de todos. Há outro exemplo Carioca e recente. O prefeito Eduardo Paes, acertadamente, acabou com centenas de vagas de estacionamento nas vias do Centro da Cidade, e o impacto foi positivo.

O que o Carioca precisa entender que estacionamento público barato NÃO É UM DIREITO. Muito pelo contrário. Estacionamento “barato” não tem nada de barato. Estacionamento barato gera um enorme custo a toda sociedade Carioca. Pagar 2 reais para estacionar o dia todo em Plena Zona sul em um feriado de sol é ridículo.

A questão não é potencialmente sem problemas. A questão de quanto a prefeitura recebe da empresa merece atenção. Assim como a regulação do contrato de concessão. Não li o contrato (falta de tempo). Há também oportunidades que a empresa perde com o modelo atual. Por exemplo: o estacionamento do Parque dos Patins é extremamente subutilizado durante a semana (mesmo quando custava 2 reais pelo dia todo). Com a nova precificação de 3 reais a hora certamente ficará às moscas.

PS: Pra quem tem interesse no economês da questão vale a pena procurar no google:  The High Price of Free Parking. Que vai levar a material de Donald Shoup, um dos maiores especialistas do assunto. Vale a pena escutar o episódio do Podcast Freakonomics sobre o tema, que pode ser acessado nesse link: Parking Is Hell.

7 respostas para “O MIMIMI da vaga “cara” na Lagoa”

  1. Concordo com você em uma coisa. Estacionamento público barato não é um direito. ESTACIONAMENTO PÚBLICO GRATUITO é que é um direito.
    O espaço é público, de onde vem essa ideia de cobrança de estacionamento afinal? Ora, a cobrança foi implementada pra garantir a ROTATIVIDADE das vagas, afinal, todos deveriam ter o direito de utilizar, e não só uma pequena quantidade de pessoas com muito tempo e dinheiro sobrando.
    Na minha opinião, o estacionamento deveria ser de no máximo 3 horas por dia por veículo. A tecnologia já permite esse tipo de controle.
    Quer ficar mais do que esse tempo no local? Use o transporte público, taxi, uber.

        1. Sim, é exatamente o que é. O fato dela não ser demarcada não muda nada.

          Você está ocupando espaço que poderia ser utilizado por outras pessoas e de outra maneira. São 10 metros quadrados usados por horas a fim para guardar um bem privado que poderiam servir a outro propósito.

      1. Da forma que você coloca então deveriam cobrar pra se sentar em bancos de praça ou pra cada escorregada de uma criança em um parquinho público.

        1. Você paga. Com impostos para manter aquilo. Mas é bastante diferente. Você não está ocupando o banco público com uma caixa depositada lá por 8 horas.

        2. Ademais. Se o estacionamento fosse custeado por impostos simplesmente isso onera aqueles que não tem carros para o benefício de quem tem. Ou mesmo se você cobrar mais no IPVA, onera quem não usa em benefício de quem usa.

Os comentários estão desativados.